#main-nav ul li.menu-item-home a , #main-nav ul li.menu-item-home.current-menu-item a{ background-image: none !important; text-indent: 0; }
HOME » DE DENTRO PRA FORA » E Páscoa!

E Páscoa!

É Páscoa!

 

pascoa
É Páscoa? É também transformação! E pensando em transformação, lembrei-me do quanto fiquei encantada com a metáfora utilizada por Rubem Alves em um dos seus artigos. Dizia ele que nunca imaginou que um dia a pipoca o faria sonhar. Mas que foi precisamente isso o que aconteceu.

 
Imaginem, diz o autor, o milho no meio do milharal. De repente, no meio dos milhos graúdos aparecem aquelas espigas nanicas mirradas. Com certeza ficaria bravo e trataria de livrar-se delas. Não se sabe como aconteceu, mas possivelmente, alguém teve a ideia de debulhar as espigas e coloca-las numa panela sobre o fogo, esperando por certo que os grãos amolecessem e pudessem ser comidos. Havendo fracasso na experiência, ousou tentar com gordura; e o resultado, ninguém poderia  ter imaginado. Os grãos começaram a estourar, saltando da panela com uma enorme barulheira. E o mais surpreendente os grãos duros quebra dentes se transformavam em flores brancas e macias.

 
E qual a relação, o que temos com isso? É que a transformação do milho duro  em pipoca macia é o símbolo da grande transformação por que devem passar os homens para que venham a ser o que devem ser. É o que nos revela o sentido religioso da Páscoa. O milho da pipoca somos nós, duros, “Quebra-Dentes”, impróprios para comer.

 
Assim acontece com a gente. As grandes transformações  acontecem quando passamos pelo “fogo”. Quem não passa pelo fogo fica do mesmo jeito a vida inteira. São pessoas de uma mesmice e de uma dureza assombrosa. Só que não percebem. O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos. Dor: pode ser fogo de fora: perder um amor, perder um filho, ficar doente, perder um  emprego. Pode também ser fogo de dentro: pânico, depressão. Sem o fogo não há sofrimento e não há possibilidade de transformação.

 
A pipoca que não estoura é chamada piruá. O poder metafórico dos piruás é ainda maior. São aquelas pessoas que, por mais que o “fogo” esquente, se recusam a mudar. Ignoram o dito de Jesus: “Quem preservar a sua vida perdê-la-á”. A sua presunção e seu medo são a dura casca do milho que não estoura.  Vão ficar duras a vida inteira.
Obrigada Rubem por esta lição maravilhosa e que nesta Páscoa possamos, como o milagre do milho, transformarmo-nos, ressurgirmos para uma nova vida!

 

Feliz Páscoa a todos!!
Grande abraço ,
Louise e Elisabeth Sversut

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Scroll To Top